Resumo dos samba-rock

terça-feira, 22 de abril de 2014

VALSINHA – MARTINHO DA VILA

VALSINHA – MARTINHO DA VILA
1998 - Martinho da Vila - 3.0 Turbinado ao vivo
(Chico Buarque de Holanda / Vinícius de Moraes)

“Chico Buarque de Holanda é um dos meus compositores preferidos, junto com Vinícius de Moraes que fez uma música que eu gostaria de ter feito”.
Um dia ele chegou tão diferente
Do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a de um jeito muito mais quente
Do que sempre costumava olhar
E não mal disse a vida tanto
Como era seu jeito
Sempre de falar
E nem deixou a só num canto
E pra seu grande espanto
Convidou-a pra rodar
Aí ela se fez bonita
Como há muito tempo
Não ousava usar
O seu vestido decotado
Cheirando a guardado
De tanto esperar
Então os dois deram-se os braços
Como há muito tempo
Não usavam dar
E cheios de ternura e graça
Foram para a praça e começaram a se abraçar
Aí dançaram tanta dança
Que a vizinhança
Toda despertou
E foi tanta felicidade
Que toda a cidade
Se iluminou
E foram tantos beijos loucos
Tantos gritos roucos
Como não se ouvia mais
Que o mundo compreendeu
E o dia
Amanheceu
Em paz
E foram tantos beijos loucos
Tantos gritos roucos
Como não se ouvia mais
Que o mundo compreendeu
E o dia
Amanheceu
Em paz


Letrasdesambarock.blogspot.com.br

SE EU SORRIR TU NÃO PODE CHORAR – MARTINHO DA VILA

SE EU SORRIR TU NÃO PODE CHORAR – MARTINHO DA VILA
1998 - Martinho da Vila - 3.0 Turbinado ao vivo
(Martinho da Vila / Zeca Pagodinho)

Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorri, tu não podes chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorri, tu não podes chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorri, tu não podes chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorri, tu não podes chorar
Sempre que eu chego em casa bem feliz da vida
É porque na lida me dei muito bem
Quero ligar o som e brincar no seu corpo
De fazer neném
Mas se tu me recebes de cara amarrada
Querendo motivo por eu me atrasar
Baixa logo a pressa e aumenta a tensão
Já nem quero cantar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorri, tu não podes chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorri, tu não podes chorar
Se a simplicidade da minha saudade
Me faz um covarde valente demais
O seu beijo me deixa que nem caranguejo
Andando pra trás
Se bambeio onde piso te dou um aviso
Algo estanho vai acontecer
Além do meu sorriso também é preciso ouvir seu gargalhar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Tais sorrindo eu não posso chorar
Quá, quá, quá
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Tais sorrindo eu não posso chorar
Tantas vezes regresso cansado, irritado
Querendo contar toda a minha desdita
Porém tu me recebes cheirosa e bonita
Querendo transar
Então não falo nada desacontecido
Porque meu astral eu não posso baixar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Tais sorrindo eu não posso chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Tais sorrindo eu não posso chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Tais sorrindo eu não posso chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Tais sorrindo eu não posso chorar
Nega se eu to contente
A minha alegria não podes cortar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorrir tu não pode chorar
Quá, quá, quá
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorrir tu não pode chorar
Onde tu estás alegre
A minha tristeza não pode chegar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorrir tu não pode chorar
Quá, quá, quá
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorrir tu não pode chorar
Gosto se tu me recebes
Cheirosa e bonita querendo transar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorrir tu não pode chorar
Quá, quá, quá
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorrir tu não pode chorar
Quá, quá, quá
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Ê!
Se eu sorrir tu não pode chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá, quá, quá, quá quá, quá
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Vai batendo na mão pra firmar
Se eu sorrir tu não pode chorar
Quá, quá, quá, quá, quá, quá, quá, quá, quá quá, quá
Vai batendo na mão pra
Se eu sorrir tu não pode chorar
Ê, ê, ê!
Quá, quá, quá, quá, quá, quá
Se eu sorrir tu não pode chorar


Letrasdesambarock.blogspot.com.br

QUEM FOI QUE DISSE – MARTINHO DA VILA

QUEM FOI QUE DISSE – MARTINHO DA VILA
1998 - Martinho da Vila - 3.0 Turbinado ao vivo
(Martinho da Vila / Zé Catimba)

O amor chegou como água
Que desce da montanha
Provocando uma
Erosão tamanha
Desaguou e fez
Onda no meu mar
Me turbinou
Como um samba que arrasta
A minha escola
Uma força que
Tem uma canção
E o povo mais
Gosta de cantar
Quem foi que disse que amar é tolice
Não é não
Quem foi que disse que amar é tolice
Não é não
Sensação
Bem maior do que se pensa
Irreverente
Ao marcar
Sua presença
Vai e vem
Nas marés de muitos tons
Tolo é quem não viaja nas ondas e nos sons
Do amor que vem
O amor chegou como água que desce da montanha
Provocando uma
Erosão tamanha
Desaguou e fez
Onda no meu mar
Me turbinou como um samba que arrasta a minha escola
Com a força que tem uma canção
Que o povo mais gosta de cantar
Quem foi que disse que amar é tolice
Não é não
Quem foi que disse que amar é tolice
Não é não
Sensação
Bem maior do que se pensa
Irreverente
Ao marcar
Sua presença
Vai e vem
Nas marés de muitos tons
Tolo é quem não viaja nas ondas e nos sons
Do amor que vem
O amor chegou
O amor chegou


Letrasdesambarock.blogspot.com.br

QUEM É DO MAR NÃO ENJOA / NÃO CHORA MEU AMOR / SEGURE TUDO - MARTINHO DA VILA

QUEM É DO MAR NÃO ENJOA / NÃO CHORA MEU AMOR / SEGURE TUDO - MARTINHO DA VILA
1998 - Martinho da Vila - 3.0 Turbinado ao vivo

Quem quiser saber meu nome
Não precisa perguntar
Sou Martinho lá da Vila
Partideiro devagar
Quem quiser falar comigo
Não precisa procurar
Vá aonde tiver samba
Que eu devo estar por lá
Quem é do mar não enjoa
Não enjoa
Chuva fininha é garoa
É garoa
E homem que é homem não chora
Não, não chora
Quando a mulher vai embora
Vai embora
Mas quem é do mar não enjoa
Não enjoa
Chuva fininha é garoa
É garoa
Homem que é homem não chora, não
Não, não chora
Quando a mulher vai embora
Vai embora
“Foi, tem que deixar ir, cara. Eu tenho um amigo que fala assim: mulher não me manda embora porque eu choro e tudo. Que sujeito à toa, hein?! Aí a mulher é obrigada a falar pra ele assim, quer ver?”
Não chora meu amor
Não chora
Não chora meu bem
Não chora porque seu amor não vai embora
Não chora neném
Não chora meu amor
Não chora
Não chora porque seu amor não vai embora
“Aí não tem jeito”
Segure tudo que for conquistado
Segure tudo que não for demais
Segure o braço do seu namorado
Segure a menina rapaz
Segure tudo que for conquistado
Segure tudo que não for demais
Segure o braço do seu namorado
Oi segure a menina rapaz
Assegure um amor sem despedida
Dando amor e lealdade
Pra não terminar a vida
No tal do bloco da saudade
Assegure o pão de cada dia
Trabalhando com vontade
Segura, segura, segura e não larga
Essa tal felicidade
Avareza é um defeito
Você nunca foi assim
Eu também tenho direito
De tocar meu tamborim
Ê!
Avareza é um defeito
Você nunca foi assim
Eu também tenho direito
De tocar meu tamborim
Segure tudo que for conquistado
Segure tudo que não for demais
Segure o braço do seu namorado
Oi segure a menina rapaz
Segure tudo que for conquistado
Segure tudo que não for demais
Segure o braço do seu namorado
Oi segure a menina rapaz
Oi segure a menina rapaz
Oi segure a menina rapaz
Oi segure a menina rapaz
Oi segure a menina rapaz
Não larga
Rapaz
Oi segure a menina rapaz
Oi segure a menina rapaz
Tá segura


Letrasdesambarock.blogspot.com.br

PRA PODER TE AMAR – MARTINHO DA VILA

PRA PODER TE AMAR – MARTINHO DA VILA
1998 - Martinho da Vila - 3.0 Turbinado ao vivo
(Dalmo Beloti)

O amor não tem cor
O amor não tem idade
O não vê cara nem religião
Não faz diferença
Do rico e do pobre
O amor só precisa de um coração
O amor não tem tom nem nacionalidade
Dispensa palavras basta um olhar
O amor não tem hora
Nem fórmula certa
Não manda recado
Chega pra ficar
O amor
Entrou na minha vida quando te encontrei
Olhei no teu olhar e me apaixonei
Foi tanta emoção não deu pra segurar
Não deu
O amor
Contigo ao meu lado é cada vez maior
Quero me batizar no sal do teu suor
E ter a vida inteira pra poder te amar
O amor não tem cor
O amor não tem idade
O não vê cara nem religião
Não faz diferença
Do rico e do pobre
O amor só precisa de um coração
O amor não tem tom nem nacionalidade
Dispensa palavras basta um olhar
O amor não tem hora
Nem fórmula certa
Não manda recado
Chega pra ficar
O amor
Entrou na minha vida quando te encontrei
Olhei no teu olhar e me apaixonei
Foi tanta emoção não deu pra segurar
Não deu
O amor
Contigo ao meu lado é cada vez maior
Quero me batizar no sal do teu suor
E ter a vida inteira pra poder te amar
Vamos lá gente!
O amor
Entrou na minha vida quando te encontrei
Olhei no teu olhar e me apaixonei
Foi tanta emoção não deu pra segurar
Não deu
O amor
Contigo ao meu lado é cada vez maior
Quero me batizar no sal do teu suor
E ter a vida inteira pra poder te amar
Pra poder te amar
Pra poder te amar
Amar, amar, amar, amar, amar, amar
Pra poder
Te amar


Letrasdesambarock.blogspot.com.br

NA ABA – MARTINHO DA VILA

NA ABA – MARTINHO DA VILA
1998 - Martinho da Vila - 3.0 Turbinado ao vivo
(Ney Silva / Paulinho da Aba / Trambique)

Na aba do meu chapéu
Você não pode ficar
Meu chapéu tem aba curta
Você vai cair e vai se machucar
Na aba
Na aba do meu chapéu
Você não pode ficar
Meu chapéu tem aba curta
Você vai cair e vai se machucar
Como vai se machucar
Eu compro a cerveja, você pede um copo
E bebe logo
Puxo um cigarro, você pede um
Como você pede um
Mando vir um salgado, o senhor come tudo
Parece que nunca comeu
Pede tudo que vê, ele é um, sete, um
Um tremendo um, sete, um
Eu não nasci pra coronel
Coronel
Saia da aba do meu chapéu
Não nasci pra coronel
Eu não nasci pra coronel
Eu não
Coronel
Saia da aba do meu chapéu
Você passa por mim e pergunta zombando
Passa zombando e me diz
Uns e outros maneiro
Como é que é?!
Como é que é?!
Para o seu bem estar fique logo sabendo
Olha seu coisa ruim
É que lá no Macaco não tem Zé Mané
Não mora Mané
Mas lá na tendinha do Zé do Caroço
Será que o senhor não se lembra
Eu paguei a despesa e ficaste com o troco
Até o hoje não me devolveu
Olhe bem que a massa está te sacando
Como está
E de repentemente o bicho tá pegando
Como o bicho tá pegando
É que sou do bairro de Noel
Seu nome é Vila Isabel
Vai saindo da aba do meu chapéu
Sou do bairro de Noel
Eu sou do bairro de Noel
Seu nome é Vila Isabel
Vai saindo da aba do meu chapéu
Ê
Vai saindo da aba do meu chapéu
Vai
Vai saindo da aba do meu chapéu
Vai saindo da aba do meu chapéu
Vai saindo da aba do meu chapéu
Vai saindo da aba do meu chapéu


Letrasdesambarock.blogspot.com.br

MULHERES / MINHA E TUA – MARTINHO DA VILA

MULHERES / MINHA E TUA – MARTINHO DA VILA
1998 - Martinho da Vila - 3.0 Turbinado ao vivo
(Toninho Geraes / Alceu Maia / Martinho da Vila / Zé Catimba)

Já tive mulheres
De todas as cores
De várias idades
De muitos amores
Com umas até certo tempo
Fiquei
Pra outras apenas um pouco
Me dei
Já tive mulheres do tipo
Atrevida
Do tipo
Acanhada
Do tipo
Vivida
Casada carente solteira feliz
Já tive donzela e até
Meretriz
Mulheres cabeça e desequilibradas
Mulheres confusas
De guerra e de paz
Mas nenhuma delas
Me fez tão feliz
Como você me faz
Já tive mulheres
De todas as cores
De várias idades de muitos amores
Com umas até
Certo tempo fiquei
Pra outras apenas
Um pouco me dei
Já tive mulheres
Do tipo atrevida
Do tipo acanhada do tipo vivida
Casada carente
Solteira feliz
Já tive donzela e até meretriz
Mulheres cabeça
E desequilibradas
Mulheres confusas
De guerra e de paz
Mas nenhuma delas
Me fez tão feliz como você me faz
Procurei
Em todas as mulheres a felicidade
Mas eu não encontrei e fiquei na saudade
Foi começando bem, mas tudo teve um fim
Você é
O sol da minha vida a minha vontade
Você não é mentira você é verdade
É tudo o que um dia eu sonhei pra mim
Procurei
Em todas as mulheres a felicidade
Mas eu não encontrei e fiquei na saudade
Foi começando bem, mas tudo teve um fim
Você é
O sol da minha vida a minha vontade
Você não é mentira você é verdade
É tudo o que um dia eu sonhei pra mim
Ó meu amor
Minha
Tua
Minha
Tua vida é minha e tua
Vida minha
Minha
Tua
Minha
Tua vida é minha e tua
Deus abençoa por que
Somos o sol e a lua
E quando há um eclipse
Minha vida é minha e tua
Um simples toque de olhar
Faz se sentir toda nua
E pra escandalizar
É só minha
Linda e pura
Vida minha
Minha
Tua
Minha
Tua vida é minha e tua
Vida minha
Minha
Tua
Minha
Tua vida é minha e tua
Ela é a terra virgem
Eu semente de paixão
Nossas lágrimas são chuva
Nossos corpos plantação
É uma afrodisia
A me fazer germinar
Desbravando o seu corpo
Sinto o tato das carícias
Que só eu
Posso provar
Vida minha
Minha
Tua
Minha
Tua vida é minha e tua
Vida minha
Minha
Tua
Minha
Tua vida é minha e tua


Letrasdesambarock.blogspot.com.br